AGENDAMENTOS:(62) 3218-6188 (62) 9 8562-2256

BLOG


Tipos de reconstrução mamária

SBM - Sociedade Brasileira de Mastologia


Data: 13/10/2016


Após realização da mastectomia, ou seja, da retirada total da mama, pode-se realizar, nos casos em que não há contra-indicações, a reconstrução da mama.


Há várias técnicas de reconstrução mamária e, para decidir qual a melhor para determinada paciente leva-se em consideração basicamente a forma da mama, o biotipo da paciente e a técnica de mastectomia que foi empregada.


Próteses de silicone


Nos casos de mastectomias em que é possível preservar pele e complexo aréolopapilar (aréola e mamilo) ou pelo menos pele, pode-se utilizar próteses de silicone que terão o papel de dar volume a mama reconstruída. A prótese neste caso é colocada atrás do músculo peitoral maior, músculo este que se localiza atrás da glândula mamária. O modelo da prótese dependerá da forma da mama e do biotipo da paciente. Quando a quantidade de pele preservada na mastectomia não é suficiente para recobrir toda a prótese utiliza-se próteses expansoras, que são próteses que serão progressivamente enchidas com soro fisiológico com o objetivo de distender a pele e posteriormente, na maior parte das vezes, trocar a prótese expansora por uma prótese de silicone definitiva.


Este tipo de reconstrução é mais indicada para pacientes que não apresentam mamas com muita ptose, ou seja, mamas muito caídas.


Reconstrução com tecido Autólogo


Outra forma de reconstrução cirúrgica da mama é quando se retira tecido de uma área do corpo da própria paciente e esta área é transferida para o local onde estava a mama. Pele, gordura e músculo são os tecidos que serão a nova mama e estes tecidos são provenientes, principalmente do abdome ou das costas da paciente.


TRAM


Nesta técnica utiliza-se o retalho músculo-cutâneo transverso do reto abdominal, na qual pele, gordura e músculo do abdome serão transpostos por um túnel para o local onde estava a mama. Ponto fundamental para escolha desta técnica é que a paciente não seja muito magra, ou seja, tem que apresentar tecido gorduroso abdominal sobressalente para que haja volume para a reconstrução da nova mama.


Grande Dorsal


Nesta técnica utiliza-se o retalho grande dorsal, ou seja, pele, gordura e músculo das costas da paciente, os quais serão transpostos para o local da mastectomia pela axila da paciente. Neste tipo de reconstrução utiliza-se, na grande maioria das vezes, uma prótese de silicone associada a fim de fazer volume na nova mama, uma vez que, o tecido gorduroso das costas da paciente não é suficiente para dar o volume adequado.


Autor: SBM - Sociedade Brasileira de Mastologia


Copyright©2018 - Todos os Direitos Reservados